Buscar

O PODER DA CORAGEM - E 5 LIÇÕES PARA QUEM TEM MEDO

Você acredita que coragem é um dom ou uma habilidade?

Nos meus 33 anos de existência eu acreditei que era um dom, ou você nascia com ele, ou morreria na praia, junto com a multidão que se julga incapaz de mergulhar e enfrentar as ondas de incertezas da vida. Entretanto, o que tenho aprendido nos últimos dois meses _em que eu tento tirar esse blog e alguns outros planos do papel_ é que o que diferencia os realizadores dos frustrados, é a coragem.


E antes que você discorde de mim, deixa eu dizer que estou falando com muito conhecimento de causa, viu? Pertenço, sem nenhum orgulho, do segundo grupo porque sempre me privei de exercitar e desenvolver minha própria capacidade de me lançar na arena. É claro que uma boa dose de sorte é essencial e falar sobre oportunidades rende um blog inteiro e não dá pra resumir em um post, então hoje eu quero falar exclusivamente sobre o poder de encarar a sua própria vulnerabilidade e aceitar que para trilhar um caminho de sucesso, em qualquer área da sua vida, você precisará saber que vai doer, mas acreditar que você aguenta!


E é aí que chegamos à palestra da Brené Brown, The Call to Courage (O Poder da Coragem na Netflix Brasil).



Clique aqui para assistir na Netflix


Essa semana, depois de desistir de um novo corte de cabelo e de uma sessão de fotos (na última hora.. novamente, me perdoem Dani e Igor!!), eu fiz o que a maioria de nós faz, me agarrei ao meu travesseiro, abracei minha auto piedade, e me anestesiei com açúcar e streaming.


Diferente da Brené, que conta nessa palestra que por um sinal divino se deparou, por acaso do destino, com uma frase que mudou sua vida, eu cheguei às palavras dela sabendo exatamente o que precisava ouvir. Em 76 minutos, com muito bom humor, a pesquisadora que se tornou mundialmente conhecida e recomendada nas mais diversas áreas, nos ensina sobre coragem, conexão, sucesso e vulnerabilidade. De forma muito humana, usando exemplos de sua própria vida pessoal e defendendo suas teses muito bem embasadas de que para vencer, é necessário lutar.


Pode parecer óbvio, e é óbvio mesmo. Como todo discurso meio coach, tudo o que você vai ouvir lá são obviedades necessárias. Então eu vou tentar resumir 5 lições que eu tirei das 4 vezes que assisti essa palestra. Dessa vez eu vou colar no meu próprio escritório pra ver se lendo todo dia eu consigo enfiar na minha própria cabeça.. rs Se você identificar alguma afinidade com a minha incapacidade de repentinamente perder esse medo todo que a gente insiste em ter, vem cá comigo..



5 LIÇÕES PARA QUEM TEM MEDO:


1 - Você pode tentar, errar, cair, recalcular rota e tentar de novo.. Diferente do universo romantizado que criamos e criaram para nós, nada vai transformar profundamente nossas vidas apenas com um vídeo de 76 minutos, um livro de 300 páginas ou um post do instagram com 5 passos para perder o medo. Eles podem te inspirar, mas não espere um estalo mágico de mudança repentina. Não é assim que funciona na vida real e tá tudo bem, basta um pequeno ajuste de expectativas e ações. lembre que nada é tão poderoso quanto a persistência!


2 - Só aceite críticas de quem está realmente apto a se colocar em seu lugar. Em outras palavras: "Não calçou meus sapatos, não venha julgar meus calos." Ponto. Todos nós nos importamos com a opinião dos outros, isso é um fato. Entretanto, aprenda que se alguém nunca arriscou nada, mas é um grande crítico de batalhas alheias, com certeza não merece sua atenção.

Não tenha vergonha de tentar, errar, recomeçar e não permita que a frustração mal canalizada dos outros te desvie dos seus objetivos, roube seu tempo ou sua energia. Concentre-se no seu objetivo!


3 - Assim como no amor, no trabalho também é preciso baixar a guarda para gerar conexão.

Para que relações sejam mais humanas, autênticas e profundas, é necessário abraçar sua vulnerabilidade e abandonar suas armaduras e perfeccionismo. Mostrar ao outro que você não sabe tudo e não pretende saber, mas que está disposto a aprender junto, te trará ambientes mais férteis, leves e generosos.


4 - Vulnerabilidade não é fraqueza.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, ser vulnerável nada tem a ver com ser fraco. Na realidade para ser vulnerável é necessário muita coragem.. Ser vulnerável não é perder ou ganhar, é ter a coragem de se arriscar sem ter controle do resultado.


5 - Esteja na arena!

De fato nada define melhor esse aprendizado do que a própria frase de Theodore Roosevelt: "Não é o crítico que importa, nem aquele que aponta quando o outro tropeça, nem aquele que diz que o outro deveria ter agido diferente. O mérito é do homem que está na arena, com o rosto coberto de poeira, suor e sangue; que se emprenha, que erra, que fracassa uma, duas, três, quatro vezes. Aquele que, no final, embora conheça o triunfo da vitória, pode até fracassar, mas se arriscando a ser imperfeito."



É isso. Exatamente isso!

Veja mais sobre minha própria batalha também no meu Instagram (@annadefranco) e vamos juntas!


Quem vem comigo pra arena?

Beijinhos,

Anna.